Depois de ficar entocado as férias inteiras estudando francês, resolvi sair e curtir. Não sei se é por que eu vou ficar um ano sem aparecer, mas foram duas noites incríveis! Tanto sexta, quanto sábado. Revi gente que não via a muito tempo e me senti muito bem.

Depois de encontros e desencontros, acabei indo os dois dias no mesmo lugar. Creio eu, que é nesse momento que você descobre se a balada é boa ou não.

Domingo, dia dos pais, estava destruído. Mas mesmo assim, consegui passar um bom tempo com o meu pai e dar os presentes que eu e minha mãe compramos pra ele. Fizemos um churrasco com os tios e que foi uma espécie de despedida para eles, já que provavelmente não os verei mais antes de partir.

Agora, coisas do intercâmbio. Bom, paguei, o seguro saúde, hoje inclusive. Foi uma fortuna, mas a bolsa cobria. E adquiri um cartão desses de viagem, um Visa “travelmoney”. O apartamento que eu quero alugar em Toulon que está difícil de desenrolar. Eles querem um fiador com conta na frança. Me diz, você vai alugar pra um estudante estrangeiro e pede uma coisa dessas? Não entra na minha cabeça.

Uma das adições válidas desse final de semana foi um filme que assisti. Chama-se “O Albergue Espanhol”. É um filme francês, que retrata a vida de um estudante que vai fazer intercâmbio para a Espanha e mora durante um ano lá, em um apartamento com várias pessoas. A película acabou ganhando um lugar na minha lista de filmes favoritos.

 

Me identifiquei muito com a parte que ele discorre sobre programa de intercâmbio da faculdade:
“Chama-se Erasmus, é uma bagunça indescritível […]
– Só queria saber quais papéis que são necessários para que meu processo fique completo.
– […] Não é complicado, precisa da autorização do seu orientador aqui, da autorização e assinatura do orientador de lá. Precisa autorização da universidade daqui e de lá e o seu cartão de estudante. Isso é imprescindível. […] Inclua um currículo, carta de apresentação, o título de sua tese e todas essas coisas. É só. ”

Se alguém for fazer intercâmbio: prepare-se. Os documentos que precisam ser entregues brotam de todos os lugares. Parece até geração espontânea.

Farei um post sobre documentos se sobrar tempo essa semana. Estou pensando como narrarei a desventura.

 

À bientôt!

 

 

Anúncios